domingo, 1 de junho de 2008

EU FUI

EU FUI! E foi assim:



E assim:



E assim:




Amy, darling, é melhor não insistires mais nesse "no, no, no" desconcertante; é melhor ires para a "rehab" e fazeres vencer aquele talento que oiço nos cd's!

..................................................................................

O primeiro grande alivio de todos foi vê-la aparecer em palco, apesar de cerca de 45 minutos de atraso (só! assim um danoninho a mais que o tempo que actuou). Depois disso cantou, sem encantar. "Amy mostrou-se frágil e sem convicção"! Cambaleante, balbulciou algumas palavras pedindo desculpa pelo estado da sua voz e disse mesmo que devia ter cancelado o concerto (olha obrigadinha, sim?). Embriagada, drogada (ou as duas coisas?), Amy esteve quase sempre de copo na mão, quase caiu (mas sem vergonha), deixou saltar um sapato do pé, puxava a saia para cima e para baixo, não tinha força para segurar o microfone com a mão ligada...enfim...
O público não sabia se aplaudia e assobiava ou não, numa mistura de emoções provocada pela artista...
As opiniões dividem-se: "Há os que vibraram com cada passo, cada gesto, cada trejeito de Amy. E há os que olharam para ela com uma certa pena, forte desilusão".

Tudo isto faz parte da actual imagem daquela que é a figura mais controversa da pop actual, Amy Winehouse. Não podia ter sido mais transparente e genuíno...e decadente...

1 comentário:

Ritta disse...

e sobre este assunto, esta miuda escreve com muita graça em http://cocanobatido.blogspot.com/2008/05/oficialmente-o-pior-concerto-do-ano.html